Capa

Sinduscom VT

Grupo do Sinduscom-VT visita cerâmicas e Marques de Souza

22.06.2022  |  71 visualizações

Um dos setores econômicos abrangidos pelo Sinduscom-VT é o de olarias e cerâmicas. E nesta terça-feira (21), um grupo de empresários do ramo visitou três empresas situadas em Marques de Souza. Coordenada pelo diretor Junior Compagnoni, a comitiva esteve nas cerâmicas Rabaiolli Compagnoni, Bruch e Barrinha, onde os participantes trocaram informações e experiências sobre processos, estoque e questões legais da fabricação de tijolos. “Importante essa união do grupo para conhecer melhor os parques industriais de cada um, seus maquinários. Assim podemos debater ideias para também buscar a questão de produtos uniformes e de qualidade para anteder a nossa região”, destacou o diretor. 

Além dos pontos visitados, a atividade contou com a participação de representantes das cerâmicas Barrense, Barth, Bruxel, Fachinetto, Itália e Arvorezinha. Cristine Anversa, executiva do Sindicato das Cerâmicas do RS (Sindicer), e Patrícia Manica, advogada da Unisind, também integraram o a turma. Com o propósito de também apoiar o turismo local, o grupo almoçou na Pousada Ninho do Beija Flor, na localidade de Bela Vista do Fão. A iniciativa dá sequência a um cronograma iniciado em maio, quando o foco foram olarias associadas de Arvorezinha. O próximo destino será Estrela, com previsão para agosto. 

Plano de Fechamento de Mina

Aproveitando o encontro dos empresários do setor, o Sinduscom-VT convidou a bióloga Marcela Bruxel, da Essencial Ambiental, para explicar e esclarecer dúvidas sobre a Resolução ANM nº 68, que dispõe sobre as regras referentes ao Plano de Fechamento de Mina. Após prorrogado, os  mineradores terão até 1º de dezembro para entregar o seu PFM atualizado. O documento consiste em um conjunto de procedimentos para o descomissionamento da área após a atividade de mineração, envolvendo a desmobilização das estruturas provisórias de suporte às operações de lavra e beneficiamento, a estabilização física e química das estruturas permanentes e seus monitoramentos, bem como a habilitação da área para um novo aproveitamento mineral ou outro uso futuro. 

Marcela destacou que todo empreendimento minerário deve ter um PFM, elaborado por profissional legalmente habilitado e acompanhado da respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). O PFM deverá ser atualizado a cada cinco anos, apresentando as alterações ocorridas no plano nesse período. O tema seguirá sendo acompanhado pelo Sinduscom-VT, que se coloca à disposição dos associados para intermediar o suporte técnico necessário.